AEESML

10 janeiro, 2008

Eleição dos corpos gerentes para 2008

Informam-se todos os interessados que o mapa eleitoral da AE ESML para 2008 é o seguinte:

Data limite para entrega das listas:
25 de Janeiro de 2008

Realização de acto eleitoral:
20 e 21 de Fevereiro

Deverão ser preenchidos todos os requisitos exigidos nos Estatutos da AE ESML.

Etiquetas: ,

16 março, 2007

V Festival de Música da ESML

Nos próximos dias 14 a 16 de Maio, no Jardim de Inverno do Teatro Municipal de São Luiz, numa iniciativa da Associação de Estudantes da Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), irá decorrer o V Festival de Música da ESML.

Vimos, desde já, convidar-te a participar neste festival, que vai contar com os habituais concertos e com a participação especial da orquestra sinfónica da ESML.

As fichas de inscrição estão disponíveis no placard da sala do aluno para cópia e em http://www.ae.esml.ipl.pt/inscricao.pdf As fichas de inscrição devem ser preenchidas e colocadas no cacifo da Associação de Estudantes no 3º andar ou entregues a algum membro da AE até ao dia 26 de Março (data limite).

19 outubro, 2006

Seminário com Nicholas Cook

Caros colegas,

Nos próximos dias 27 e 28 de Outubro decorrerá na Escola Superior de Música de Lisboa um Seminário com o eminente musicólogo britânico Nicholas Cook, autor de inúmeros livros e outras publicações em revistas da especialidade.

O Seminário, dedicado ao tema "O estudo da Música enquanto Performance", decorrerá em quatro sessões, com a duração de cerca de duas horas cada.

Toda a informação detalhada sobre o seminário poderá ser encontrada aqui.

Assim, convidamos-te a participar neste evento, que será uma oportunidade ímpar para trabalhar com o Prof. Cook, nesta sua primeira visita a Portugal.

11 outubro, 2006

"Ensino da música no 1ºciclo"-parte 2

Gostaria de partilhar convosco uma reportagem publicada hoje no jornal Público:

O programa de enriquecimento curricular nas escolas primárias de Lisboa e Oeiras está a ser subvertido pela empresa Clave de Soft, a quem ambas as autarquias adjudicaram o ensino de Música, uma das disciplinas previstas no programa que o Ministério da Educação tornou obrigatório este ano.
A empresa, incapaz de assegurar a contratação de professores de Música para 90 escolas do ensino básico de Oeiras e para 38 de Lisboa, optou por contratar os serviços de animadores socioculturais e profissionais com outras formações artísticas, sem qualquer qualificação na área do ensino da música. A todos, o coordenador do projecto da Clave de Soft para Lisboa, Mário Henrique, enviou uma mensagem de correio electrónico a advertir: "Quando se apresentarem na escola, devem assumir que são 'professores contratados pela Clave de Soft' para as aulas de 'Expressão Musical'".
"Nesta fase inicial, quem não tem recursos e experiência no âmbito da música deverá desenvolver actividades de expressão artística mais gerais, mas nunca dizendo aos professores e/ou alunos que 'não sabe nada de música e que não vai fazer música'", pode também ler-se no e-mail enviado pela empresa aos animadores.
Mário Henriques sugeria ainda, na mesma comunicação, uma solução para a ausência de formação musical: "Há sempre um CD lá por casa, dos filhos ou primos, com umas canções para saciar o desejo das crianças".
Já no que diz respeito ao pagamento dos "professores" contratados pela Clave de Soft, a mensagem deste responsável da empresa, que foi seleccionada após concurso público, sugeria a prática de fraude fiscal: "Para que possamos proceder ao pagamento, deverá enviar ao meu cuidado (via CTT ou entregar na Clave de Soft) o recibo verde. Este pode ser emitido por outra pessoa. Portanto, devem indicar junto ao recibo o número do horário a que corresponde".
Contactado pelo PÚBLICO, Mário Henriques defendeu que a intenção desta mensagem não era enganar a comunidade escolar, mas tão-só "não quebrar a expectativa dos alunos e desiludir as crianças no primeiro dia". O responsável da Clave de Soft alega ainda que tudo foi feito com o consentimento prévio das autarquias e que as próprias escolas foram informadas de que os "professores" não tinham formação. "Um ou outro caso falhou", admite.

in Público, 11.10.06

06 outubro, 2006

Sobre o ensino de música no 1º Ciclo

Gostaria de chamar a atenção para esta notícia do Jornal de Notícias, relativa à entrada em vigor da nova lei que prevê o ensino de música e outras disciplinas no 1º Ciclo. Em essência, a situação resume-se a:

- O Ministério da Educação cria um suplemento lectivo para o 1º Ciclo de duas horas diárias, reservado a disciplinas como Inglês, Educação Física, Música e Apoio ao Estudo;

- Estas aulas são facultativas, e a sua organização está à responsabilidade das Autarquias, que recebem do Governo um apoio anual por aluno (que ronda, creio, os 250 €);

- A leccionação destas disciplinas é da responsabilidade de docentes contratados em regime independente, ou seja, a recibos verdes, mas contam anos de serviço para efeitos de concurso

- O preço pago por hora a cada docente não foi estipulado, nem segue as tabelas de remuneração oficiais;

A tudo isto, acresce que:

- As aulas são em simultâneo em todas as escolas no período lectivo correspondente (15.30h - 17.30h)

- O regime geral de funcionamento destas disciplinas é o de um ATL - Actividades dos Tempos Livres. Os alunos não são sujeitos a uma avaliação concreta, um programa definido, nem os docentes integram as restantes actividades pedagógicas, como reuniões de notas, conselhos de Grupo, etc.

- Estas medidas são defendidas como válidas para a implementação de Ensino Artístico no 1º Ciclo.

- As autarquias contratam os professores directamente, ou pagam a empresas para o fazerem, que servem apenas como intermediárias.

Toda esta situação é da maior gravidade, e não lhe podemos ficar indiferentes, enquanto estudantes e eventuais profissionais de música.

- A simultaneidade dos horários nas escolas implica que cada docente possa apenas leccionar (na melhor das hipóteses) 10h semanais, divididas por cinco dias, e pagas em regime de "leilão";

- A contabilização dos tempos de serviço actua como contrapartida aliciante, incentivando à aceitação incondicional destas condições indignas de docência;

- Autarquias e empresas contratantes não dispõem dos meios nem aptidões necessários à fiscalização das habilitações dos docentes, e nem sei se as habilitações exigidas são as de lei; assim, incorre-se no risco de serem contratadas pessoas de formação e aptidões duvidosas para o ensino da música em geral, e do 1º Ciclo em particular, com consequências dramáticas no interesse e motivação dos alunos para a aprendizagem da música.

- As empresas "contratadas para contratar" ficam com 50% ou mais do dinheiro destinado aos docentes, sem assumirem quaisquer encargos nem terem de prestar contas sobre quem contratam e como, actuando apenas como intermediários parasitas.

- Este modelo de Ensino Artístico (sem programas, facultativo, sem docentes aptos, sem lugar no horário, sem exigências curriculares, etc., etc.) contribui ainda mais para a já enraízada ideia cultural de importância secundária das artes, relativamente às outras disciplinas. Como agravante, é uma ideia agora praticada desde o 1º Ciclo.

- A aprendizagem da música é reservada para o final do dia, quando as crianças estão saturadas das aulas, iniciadas logo de manhã.

Não me alargarei mais sobre este assunto. Apelo a uma mobilização geral de estudantes, professores e amantes de música para boicotar este modelo de ensino e este tratamento indigno da arte musical em geral. A meia dúzia de tostões furados paga à hora, ou a miséria de horas contabilizadas para efeitos de tempo de serviço não compensa este desrespeito à actividade musical enquanto profissão, nem justifica o prejuízo futuro resultante de um Ensino Artístico traumatizante e incompetente.


Mais informação sobre este assunto:
Consequências das Actividades complementares
Alguns comentários úteis
Organização do Ano lectivo 2006/7

20 setembro, 2006

Novo ano lectivo

Passada uma semana sobre o (teórico) início das aulas do ano lectivo 2006/7, aproveitamos para dar as boas vindas aos novos colegas recém chegados. Esperamos que a sua passagem pela ESML seja profícua, e que possam também contribuir para dinamizar e projectar a imagem da escola e do trabalho nela realizado.

A AE ESML disponibiliza-se desde já para qualquer apoio necessário à integração dos novos colegas, relembrando que será organizado um jantar de convívio no próximo dia 27 de Setembro, pelas 20:00h, (num restaurante a indicar), bem como uma mini-maratona de Futsal, a realizar-se no dia 30 de Setembro, pelas 14h, no Campus do IPL (onde decorreram as Provas Gerais de Acesso) . Estas informações estão expostas de forma mais detalhada no placard da AE ESML na sala de alunos, 2º andar da escola.

Votos de muita música!

19 junho, 2006

Provas de Acesso 2006/7

Os resultados das Provas Gerais de Acesso para o corrente ano lectivo, cuja publicação estava prevista para hoje, 19 de Junho, não foram afixados, verificando-se mais uma vez a incapacidade da nossa Escola em cumprir prazos.

O atraso na afixação dos resultados é oficiosamente justificado "pelos feriados" (à razão de quase uma semana de atraso por feriado!), sendo a publicação prevista para data incerta, algures "durante a próxima semana", o que obriga os candidatos a uma diária e angustiante peregrinação à escola a partir da próxima segunda -feira. Aparentemente, as "pontes" que permitiram o encerramento do Centro de Documentação durante toda a semana em época de exames, estenderam-se a outros sectores da escola.

As consequências deste atraso são várias: o adiamento a que dezenas de candidatos têm de remeter as decisões sobre o seu futuro, o atraso no processo de publicação das listas com a seriação final dos candidatos, implicando a adiamento dos prazos para a realização de matrículas, e, consequentemente da formação de turmas - na prática, o adiamento do início do ano lectivo. A isto, claro, deve-se acrescentar o evidente prejuízo na imagem da escola.

É de lamentar que, logo no primeiro contacto com a instituição, eventuais futuros alunos se deparem com esta grave ausência de rigor no tocante ao cumprimento de prazos. Sugerimos que o rigor com que se fiscaliza e sanciona o não-pagamento atempado das propinas seja aplicado a todos os procedimentos da escola...

Estética

Informamos todos os colegas inscritos na disciplina de Estética (3º ano) que o Prof. Francesco Esposito realizará um complemento extraordinário de avaliação no próximo dia 23 de Junho, pelas 10.30h, nas instalações da R. do Ataíde.
Destina-se a todos os alunos que queiram tentar uma melhoria de nota, e decorrerá sob a forma de prova oral, abrangendo toda a matéria leccionada.

l